Notícia

Live sobre o agro - Hora é de olhar para frente e para oportunidades que virão

segunda, 29 de junho de 2020
Caciopar

Uma mensagem ficou clara na live da Caciopar do último sábado sobre o agronegócio, com a participação do líder do segmento agroindustrial Elias Zydek e o superintendente da Cotriguaçu Gilson Anizelli: a hora é de olhar para frente, para as oportunidades que virão e deixar o passado para trás. As transmissões ao vivo, pelo Instagram, estão entre os recursos que a Coordenadoria encontrou para realizar com regularidade encontros de seu cronograma de trabalhos para o exercício de 2020.

A apresentação foi feita pelo presidente Alci Rotta Júnior.

A região e o Brasil já perderam muito tempo e energia com os problemas que a pandemia trouxe. “Por isso, devemos deixar o passado e focar o futuro e as perspectivas que ele oferece e que são muito boas para o agronegócio”, disse o diretor da Frimesa e vice-presidente do POD (Programa Oeste em Desenvolvimento), Elias Zydek. O agro está aquecido, tanto na área de grãos como de proteínas, e o mundo vai precisar muito desses dois itens. A região Oeste tem enorme potencial nessas áreas e precisa estar preparada, conforme Zydek, que falou de vários projetos novos e de expansão que buscam atender as demandas crescentes desse segmento.
Ao responder perguntas feitas por Alci, Elias Zydek lembrou dos esforços para garantir um novo status sanitário ao Paraná, que conseguiu do Ministério da Agricultura e Pecuária reconhecimento como área livre da aftosa sem vacinação – o internacional deverá vir em breve. “Com isso, abrem-se novas oportunidades e mercados ainda mais promissores principalmente às carnes paranaenses”, segundo ele. Outro ponto importante, conforme o vice-presidente do POD, é quanto à urgência das reformas, principalmente da administrativa para reduzir o tamanho da máquina pública e permitir, assim, que o País tenha uma carga tributária mais justa e que o permita crescer sem receios.
Por sua vez, Gilson Anizelli falou da Cotriguaçu e de sua importância no contexto do agronegócio da região. A Central que integra Coopavel, Copacol, Lar e C.Vale é o braço logístico dessas que estão entre as quatro maiores cooperativas do País. A boa notícia, de acordo com ele, é que mesmo com os impactos da pandemia os números da Cotriguaçu são 30% melhores que os do mesmo período do ano passado, considerando o corte de janeiro ao fim de maio. “Todos os indicadores, no comparativo, estão melhores, tanto de movimentação de cargas, armazenagem como de envio de contêineres ao Porto de Paranaguá”.
Um dos desafios, segundo Anizelli, é conseguir melhorar os números do transporte por ferrovias. Mesmo que a Ferroeste esteja batendo recordes e tenha fechado em 2019, pela primeira vez, seus números no azul, ainda é possível avançar muito mais. Outras urgências, afirmou o superintendente são com a redução do custo do frete ferroviário, aumento de volume transportado, segurança no transporte e tempo de trânsito das cargas.

Esta live teve o apoio dos investidores de 2020 da Caciopar, são eles: Biopark, Copacol, Cotriguaçu, Cresol, Frimesa, Garantioeste, Sebrae, Sicoob, Sicredi, Coopercard, Global Soluções, Grupo Marvirtual, Sempre Vida, Sindilojas Saúde, Supera Entidades e Projeto Vida Segura (Setti & Sonda). 

Fonte: caciopar.org.br